Dicionário multilingual de produtos alimentares · Saiba o que você come!



Você se aqui: Produtos alimentaresFruta e frutos




O conceito fruto se utiliza coloquialmente também em conjunto com o conceito fruta. Na língua coloquial e em ponto de vista culinário, assim como na linguagem biológica é aplicado o termo "fruto" nos mais diversos aspectos.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Definição coloquial

Coloquialmente o termo "fruto" refere-se a um aparte de uma planta hábil para o consumo humano. Assim se denomina o fruto por exemplo na cenoura e no nabo a raíz, no rábano o eixo da planta e no cereal o grão. Em alguns tipos de couve ou na echalota o fruto são as folhas vegetarias. Na maçã o fruto é a parede do ovário, que envolve as sementes.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Definição botânica


No sentido botânico entendemos sempre pelo termo frutoa parede do ovário, que envolve as sementes. Então, o fruto é o órgão formado a partir do ovário (o ovário faz parte da flor), que envolve a ou as sementes até a sua maduração e depois Serve para a sua propagação.

No sentido botânico a fruta nasce das flores fertilizadas. Portanto, a beringela, a pera-abacate, o pepino, a abóbora, o pimento ou o zucchini por exemplo não são apenas legumes, mas também fruta. O ruibarbo pelo contrário é apenas legume. Do ponto de vista culinário a fruta é um termo colectivo para as frutas e sementes aptas para o consumo humano, que podem ser comidas cruas.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Definição neste dicionário

Neste dicionários são denominados como fruta e frutos os frutos e sementes consumáveis, na maioria suculentas e carnudas de plantas de cultivo. A este grupo pertencem sobre tudo os frutos dos assim chamados árvores de fruta.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Etimologia

A origem da palavra "fruta" provem da própria pré-história da Humanidade. Em efeito, os povos indo-europeus do período neolítico usavam a raiz bhrüg-, que entre outros designava os frutos da terra e mais genericamente a ideais de "desfrutar" ou "aproveitar". A partir da uma se formaria mais tarde o vocábulo latino fructus.


↑ top · Índice



Tipos de fruta no mercado

  • Fruta de baga
  • Fruta de pevides
  • Fruta de casca rija
  • Fruta de caroço
  • Fruta meridional
  • Citrinos

A fruta que cresce na natureza libre de cultivo humano é chamada fruta silvestre.


↑ top · Índice



Classificação da fruta como planta útil

  • Fruta de semente
  • Fruta carnosa

↑ top · Índice



Frutos, Fruta Componentes

Publicidade

A fruta fresca contem particularmente grande quantidade de vitaminas, fibras, ácidos de fruta, frutos, minerais E em parte tanino e anfetaminas. Faz parte dos produtos alimentares. Segundo o tipo, a maduração e as condições climáticas, o conteúdo Das componentes está sujeita às flutuações importantes. O teor de minerais de calio, cálcio, magnésio e ferro é na fruta especialmente alto. Fruta com polpa amarela escura a cor de laranja possui muita betacarotina e ácido fólio. O teor de vitamina C nos citrinos, morangos, groselhas negras, kiwis e papaias é o mais elevado. Fibras Existem na fruta em média com uma percentagem de 3,7 %. Com excepção do pera-abacate A fruta contem muito pouca gordura e proteínas. Em contrapartida, representa o teor de água em general mais do que 80 %. Resumindo pode-se dizer, que a fruta possui junto com os legumes a maior densidade de nutrientes que todos os grupos de alimentos e proporciona, comparando com o seu teor energético, a maior parte dos nutrientes necessários para sobreviver.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Normas de comercialização

Antes de colocar a fruto no mercado esta tem de corresponder às normas de comércio internacionais. Impõem para a fruta medidas objectivas de avaliação. Fruta não adequada para o consumo ou aquela com defeitos consideráveis não se pode vender como fruta fresca. A fruta fresca é dividida em várias classes de qualidade mediante requisitos mínimos. Assim se creia uma oferta unificada, que é mais apreciável e mais fácil de comparar. Para o consumidor tem a vantagem de que pode comprar mercadoria segundo classes de preço e de qualidade individuais. Ao mesmo tempo tem a opção de reclamar quando a mercadoria oferta não corresponde às normas de comercialização.

Para as frutas importantes na União Europeia, são válidas as normas do regulamento da CE. Além disso, para fruta produzida em Alemanha existem categorias de comercialização. A fruta que foi categorizada segundo as categorias de comercialização, têm de as cumprir. Além disso existem, desde os anos 40 do século XX as normas de comercialização TDED para a fruta e os legumes frescos. As normas da TDED e o folheto de explicação, elaborado pela OCDE são uma Referência internacional reconhecida para comercializar fruta e legumes. Uma outra norma de comercialização para fruta e legumes, que é utilizada Desde os anos 80 foi desenvolvida pelo Codex Alimentarius Commission. No início continha apenas produtos Tropicais e subtropicais, mas desde 1995 alargou-se a uma normalização de Todos os tipos de fruta e legumes.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Modelo das normas de comercialização

O modelo de cada norma de comercialização é sempre constituído segundo uma base comum. Não é importante de que norma se trata(norma de comercialização CE, classes comerciais, TDED ou Codex Alimentarius).


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Determinação

Na determinação é fixado através da denominação botânica que norma De comercialização é válida para que tipos de fruta.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Categorias de qualidade

O elemento principal da norma de comercialização são as categorias de qualidade. Estas dividem-se em características mínimas e critérios de classe.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Características mínimas

As características mínimas têm a mesma validade em todas as classes. Adicionalmente às características mínimas também são válidos os requisitos específicos dos diferentes tipos de fruta.


↑ top · Índice



Características de fruta de alta qualidade

A fruta tem de...

  • estar completa. Não pode faltar nenhuma peça.
  • ser saudável. Não pode apresentar nenhum defeito ou podridão.
  • ser limpa e praticamente libre de substâncias estranhas.
  • apresentar um aspecto fresco.
  • estar libre de parasitas.
  • estar libre de danos ocasionados por parasitas.
  • não apresentar uma humidade externa anormal.
  • não apresentar um odor ou sabor estranho.
  • ter sido colhida, embalada e transportada cuidadosamente.
  • ser desenvolvida o suficiente.
  • estar suficientemente madura.
  • O desenvolvimento e o estado da fruta tem de ser de tal maneira que pode Suportar a manipulação e o transporte e chegar ao lugar de destino num Estado adequado.

↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Critérios de classe

A fruta se divide em até três classes segundo a categoria de qualidade e a presencia de defeitos.

  • Classe extra: A fruta tem de ser da mais alta qualidade, libre de sujidade e restos assim como impecável – também na cor. Além disso, o talo tem de estar intacto.
  • Classe I: A fruta tem de ser de boa qualidade. Podem ter pequenos danos na casca, ser mais pequenos em tamanho e ter um talo danificado. A polpa tem de ser completamente sã.
  • Classe II: A fruta tem de ter uma qualidade apta para o mercado. Danos na forma e na cor são permitidos. O tamanho da fruta está fixado. A fruta apenas pode apresentar pequenos defeitos.

↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Classificação por tamanho

A classificação por tamanho pode ser fixada de diversas formas, segundo O tipo da fruta. É determinada segundo o diâmetro, o volume ou o peso.

Tolerâncias
Na classificação por tamanho e nas três critérios de classe não se podem Ultrapassar determinados níveis de tolerância.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Embalagem

A embalagem tem que ser suficientemente estável e resistente em relação Ao seu conteúdo, tendo em conta que esta tem que proteger adequadamente a fruta. A utilização de papel e etiquetas é permitida se para a rotulação e etiquetagem são utilizadas cores ou cola não tóxica.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Identificação

A identificação tem de ser legível, imborrável e com uma letra que se Pode reconhecer do exterior.

A identificação tem conter os seguintes dados:

  • Empacotador e/ou remetente com nome e endereço
  • Produto e/ou tipo
  • País de origem
  • Classe
  • Carimbo de controlo (selectivo)

Além disso existem para diversos produtos outras indicações exigidas para a identificação (por exemplo o tamanho e o tipo).


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Armazenagem

Os métodos de armazenamento modernos que também são aplicadas durante o Transporte tornam hoje em dia possível independentemente das épocas de Colheita poder comprar quase todo o ano fruta fresca. Se a fruta está Preparada para ser armazenada depende entre outros também do momento da colheita. Apenas frutos que estão fisiológicamente maduros podem ser colhidos. Quer dizer, que a evolução, quer dizer o crescimento e a armazenagem dos nutritivos tem que estar terminado. Este momento depende essencialmente do facto , se se trata de fruta climatérica (que realiza postmaduração) ou não climatérica (que não realiza postmaduração). A fruta não climatérica é colhida quando está completamente madura ou madura para o consumo ou pelo menos pouco tempo antes. O momento da colheita para a fruta com postmaduração pode ser para a armazenagem na denominada maduração de colheita. Durante a armazenagem estes frutos maduram até estarem aptos para o consumo.

Armazéns herméticos e isolados, nos quais é crido uma atmosfera e um clima óptimo para cada tipo de fruta, mantêm automaticamente as condições de armazenagem óptimas. Assim, alguns tipos de fruta podem ser armazenados até nove meses.

Longos períodos de armazenagem permitem descongestionar o comércio em épocas de oferta excessiva e prolongar os períodos de oferta. Além disso é assegurado um abastecimento constante do mercado com fruta.

A capacidade de conservação de fruta é determinada pela temperatura de armazenagem, a humidade relativa e a composição do ar.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Temperatura de armazenagem

Mesmo depois da colheita, os frutos não são matéria morta. Continuam a ter um metabolismo que actua sobre o estado da fruta. A medida mais importante para retardar os processos metabólicos e assim prolongar a duração de conservação possível da fruta, é baixar a temperatura do armazém de armazenagem. Assim também se reduz a actividade dos microorganismos encarregados de provocar a podridão e deterioração. Além disso reduzem as temperaturas baixas a actividade das enzimas, Que regulam o metabolismo.

Não existe uma temperatura de armazenagem ideal para todo o tipo de fruta, Pelo contrário, cada tipo de fruta tem sua temperatura de armazenagem ideal. A maior parte dos tipos de fruta necessita uma temperatura moderada de uns grados sobre zero. Por outro lado existem alguns tipos que suportam uns grados abaixo de zero. Mas a temperatura de armazenagem ideal para frutas tropicais encontra-se geralmente entre 10 e 15 °C.

Humidade relativa
A perda de humidade da fruta durante a armazenagem é influenciada além da temperatura de armazenagem, da constituição da pele/casca, do estado de maduração pela humidade relativa do local de armazenagem. A maior parte da fruta requer uma humidade ambiente de aprox. 90 %.

Composição do ar
O ar compões-se principalmente de 78 % nitrogénio (N), 21 % oxigénio (O2), 0,03 % dioxido de carbono (CO2) E um resto composto por gases nobres. O CO2 é uma componente Muito importante para a photosintése das plantas verdes. De CO2 e Água geram hidratos de carbono, com a ajuda da clorofila e da luz solar.

Para a armazenagem de fruta o teor de CO2 do local de armazenagem é muito importante. Porque através dos processos metabólicos da mercadoria armazenada pode modificar num armazém fechado a relação natural de CO2 e O2. Aumenta o teor de CO2 através a respiração de por exemplo Hidratos de carbono, ácidos de frutos ou álcool libre etc. e ao mesmo tempo é consumido O2. Enquanto que por deficiência de O2 as frutas se abafam e adquirem um sabor fermentado, assim acelera um excesso de CO2 a degradação das frutas. O tecido das frutas desfaz-se e Torna-se por exemplo como algodão.

Em princípio cada fruta tem umas exigências especiais para a relação óptima De CO2 : O2 no ar de armazenagem.

Para poder prolongar a capacidade de armazenagem da fruta (por exemplo citrinos) esta é coberta parcialmente com uma emulsão de cera . Isso minimiza entre outros a perda de peso provocada pela evaporação e reduz a actividade de determinados processos metabólicos.

Durante a armazenagem também deve ter em conta o etileno, um hormono das plantas. Possui um grande efeito fisiológico, porque acelera o processo de maduração sem autoconsumo. Esta característica é utilizada por exemplo em bananas colhidas verdes. As bananas verdes são armazenadas nas denominadas câmaras de maduração com uma concentração baixa de etileno e uma temperatura elevada para madurecerem mais rápido.

Através uma concentração elevada de etileno envelhecem sobre tudo algumas espécies de legumes (por exemplo couve flor ou pepinos) Muito rápido. Por isso não se devem armazenar por exemplo bananas, pêras, maçãs, kiwis ou peras-abacates maduros junto com legumes.


↑ top · Índice



Frutos, Fruta: Utilização

A fruta é um alimento com muita utilização. No consumo diário é consumida na maioria fresca. As frutas maduras, provenientes da região e da época são em princípio As que têm mais sabor e que possuem uma elevada percentagem em substâncias nutritivas.

Além do consumo cru, a fruta também é apropriada para cozer, fazer sumo ou para preparar purés, marmeladas e outras pastas para barrar. Para evitar perdas de vitaminas, deve consumir rápido a fruta que foi cortada em pedaços pequenos. A perda de vitaminas pode ser retardada se botar umas gotas de sumo de limão sobre a fruta e guardando-lá no frigorífico até ao consumo.

Muitas frutas, em regra geral citrinos, para uma melhor armazenagem são tratados com agentes tensioactivos, agentes de revestimento ou conservantes. Para preservar que os citrinos, as maçãs, as pêras e os melões sequem, as suas superfícies podem ser untadas com cera. Como alguns de estas substâncias afectam negativamente a saúde, as cáscas das frutas assim tratadas não podem ser consumidas. Na agricultura convencional se utilizam além disso pesticidas. A fruta da agricultura biológica é a alternativa mais sã, porque aqui se prescinde completamente dos pesticidas modernas.


↑ top · Índice


Me siga

foodlexicon.org @ google+:



↑ top · Índice


Ladezeit: 0.012107 Sekunden